Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
OMS vai declarar fim do pico da Gripe A ainda em fevereiro.
----- Entidade registra declínio constante do número de casos; doença matou 15,1 mil pessoas no mundo. A OMS (Organização Mundial da Saúde) se prepara para anunciar ainda em fevereiro o fim da fase aguda da pandemia de gripe A (H1N1). Desde que os primeiros casos surgiram no México, em março último, a doença matou pelo menos 15,1 mil pessoas no mundo. "Não se pode dizer que uma pandemia acaba da noite para o dia", disse à Folha em Genebra Gregory Hartl, porta-voz da OMS para epidemias. "Mas estamos agora provavelmente em uma fase de transição, na qual notamos um declínio persistente dos casos, embora ainda haja surtos pontuais." A decisão deve ser tomada no fim deste mês em reunião de avaliação da comissão de emergências da OMS, em Genebra. Uma vez declarado o fim da fase de pico, a OMS passará a monitorar o comportamento do vírus para verificar se sua taxa de transmissão entra nos mesmos padrões dos vírus de gripes sazonais (comum). Essa fase durará pelo menos até o próximo inverno setentrional, no início de 2011. Só então a entidade poderá avaliar se a pandemia acabou ou não. Isso porque, segundo Hartl, não está descartado o risco de que as taxas de transmissão voltem a subir. "Ainda há surtos pontuais da doença. Embora a transmissão tenha recuado em todas as regiões do mundo, na África Ocidental ela continua aumentando, então é preciso observar", diz. "Levará pelo menos duas temporadas [de gripe] para concluir se entramos na fase pós-pandêmica." A pandemia de gripe A foi declarada em junho de 2009 e significa que a OMS constatava então a propagação contínua e disseminada do vírus em duas ou mais regiões do planeta. Na época, foram feitos alertas e governos compraram centenas de milhares de doses de vacina. Mas a disseminação arrefeceu, os estoques encalharam e os governos europeus tentam agora revendê-los e cancelar encomendas. Nos últimos dois meses, a OMS se viu no centro de uma polêmica em que médicos, especialistas e parlamentares europeus a acusam de exagerar o alerta para beneficiar a indústria -farmacêuticas como a suíça Novartis registraram lucro recorde. Um inquérito com apoio do Parlamento Europeu está sendo conduzido no Conselho da Europa, principal entidade de monitoramento dos direitos humanos no continente, e deve ser concluído em junho. A OMS defende sua conduta, nega a influência das farmacêuticas e atribui a contenção das mortes à rapidez de sua ação. LUCIANA COELHO DE GENEBRA Folha de S.Paulo 12/02/2010
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

© PORTAL MÉDICO 2011 - o site do Conselho Regional de Medicina - Todos os direitos reservados
Rua Carutapera Quadra.37b N°02 - Jardim Renascença | CEP: 65075-690 | São Luis-MA | FONE: (98) 3227 7065; (98) 3227-7156 | E-mail: crmma@portalmedico.org.br